Novena - Em oração com São José de Anchieta

9 dias de oração com São José de Anchieta, o Apóstolo e Padroeiro do Brasil. Conheça e reze com sua história.

0 compartilhar

Decreto de canonização

A assinatura do decreto de canonização do Apóstolo do Brasil ocorreu 417 anos depois de sua morte, no dia 24 de abril de 2014, pelo papa Francisco, em Roma. No relatório final dos postuladores sobre a vida do jesuíta, um documento de 488 páginas, há o registro de 5.350 histórias de pessoas que alcançaram graças rezando a José de Anchieta.

Apesar de ter nascido na Ilha de Tenerife, no arquipélago das Canárias, na Espanha, padre José de Anchieta ficou conhecido como o “apóstolo do Brasil” por sua atuação no País. Chegou ao Brasil em julho de 1553, com outros seis jesuítas e, em menos de um ano, dominava o tupi com perfeição. Ao longo dos 43 anos em que viveu no Brasil, participou da fundação de escolas, cidades e igrejas.

Anchieta não só trabalhou como catequista, mas também tornou-se dramaturgo, poeta, gramático, linguista e historiador. Vale ressaltar que foi o autor da primeira gramática brasileira.

Em janeiro de 1554, participou da missa de inauguração do Colégio de São Paulo de Piratininga, hoje Pateo do Collegio, local que deu origem à cidade de São Paulo.

Em 1566, Anchieta foi ordenado sacerdote. Três anos depois, fundou o povoado de Reritiba, atual Anchieta, no Espírito Santo. E, em 1577, foi nomeado Provincial da Companhia de Jesus no Brasil, função que exerceu até 1585. Em 1595, Anchieta retirou-se para Reritiba, onde permaneceu até seu falecimento, aos 63 anos de idade, em 9 de junho de 1597.

Graças alcançadas por sua intercessão

CRIANÇA EM COMA VOLTA AO NORMAL

A família de Maria da Glória Pompermayer é um exemplo de alguém que alcançou uma graça por intercessão do santo. A mãe dela rezou para Anchieta pela cura do neto, em coma por causa de uma meningite, com um ano e três meses de idade. A cura veio depois de uma novena. "Minha mãe pegou uma relíquia do santo, um pedaço de suas vestes, e colocou embaixo do travesseiro do meu sobrinho. No primeiro dia depois da novena, ele saiu do tratamento intensivo", conta.

"Minha mãe rezava o terço todos os dias, pedindo a canonização do padre Anchieta. Era o desejo dela, para que ficasse como testemunho dos feitos dele em nossa família. Ela faleceu há 19 anos, mas deixou o legado para nós. Ando com a relíquia dele no peito, um pedaço de suas veste, dentro do meu colar. Ele é o meu guia, a minha luz em todas as horas", afirma Maria da Glória.

CURA DE TUMOR NO CÉREBRO

O historiador Jeferson Mulinari descobriu um tumor no cérebro, em 2011. Os médicos informaram que ele passaria por uma cirurgia complicada, teria poucas chances de sobreviver e, se sobrevivesse, ficaria com graves sequelas. "Quando fui internado, pessoas rezaram por mim e uma delas me mandou uma relíquia do padre Anchieta, água benta e óleo ungido. Passaram o óleo na minha cabeça e pediram pela minha saúde a Anchieta. Sobrevivi e não tive sequelas, minha recuperação foi rápida, voltei a trabalhar, a dirigir, a fazer tudo", conta.

Como agradecimento, Jeferson decidiu estudar e propagar a história de Anchieta. "Essa experiência aumentou a minha fé. Hoje estudo a história dele e passo adiante os conhecimentos, para torná-lo cada vez mais conhecido", diz.

CURA DE MALÁRIA SEM REMÉDIOS

No século 17, o jesuíta Francisco Pires curou-se repentinamente de impaludismo (malaria) após beber alguns goles de água onde havia sido mergulhada uma lasca do fêmur de Anchieta. 

CURA DE PERNA GANGRENANDO

No século 18, novo milagre: Manoel de Jesus, picado por uma cobra no calcanhar e já com os tendões e, músculos atrofiados, e perna gangrenando, deitou se sobre a lápide do túmulo de Anchieta e de lá levantou-se curado. 

A PEDIDO DE UM FILHO DEVOTO, MÃE SAI DO COMA

Uma dessas provas chama se Delminda Magalhães, moradora da cidade de Jundiaí. Por volta de 1950 ela estava em coma, já desenganada pelos médicos. Como seu sofrimento se prolongasse, um de seus filhos foi ate o Pátio do Colégio, onde está uma das relíquias do santo, e pediu a bênção para que ela morresse em paz. Ela não morreu. Levantou-se, curada, na mesma hora.  

CURA DE CÂNCER

Maria Célia Borges, também viva e morando em Salvador, em 1970 anos teve câncer nas mamas, sendo submetida a uma operação onde foram extraídos os seios. O câncer, porém, estava tão difundido que não havia cicatrização. O problema se arrastou por meses, sem que os vários médicos pudessem solucioná-lo, até que ela rezou, invocando o padre Anchieta. Quinze dias depois, estava curada.   

CURA DE CÂNCER EM ÓRGÃOS GENITAIS

O mais contundente desses casos é o de Dante André Manacorda, paulista, com 52 anos, um alto funcionário de uma indústria em São José dos Campos. Ele conta que estava com câncer, que havia se iniciado nos órgãos genitais há 13 anos, alastrando se pelo corpo a atingindo principalmente os pulmões.

Dante era ateu, e há vários meses vinha se tratando no Hospital do Câncer, em São Paulo, mas sem progressos. Já desenganado quanto à morte próxima e dolorosa, e quase sem conseguir andar, na terça feira, 4 de novembro de 1967, ele foi ate o Pátio do Colégio, onde recebeu uma bênção e tocou o osso do padre Anchieta. Na sexta-feira anterior ele estivera no hospital e mais uma vez fora radiografado, com resultados que confirmavam a gravidade de seu estado.

Na sexta-feira subseqüente, voltou ao hospital para novas radiografias e para, provavelmente, internar-se em definitivo. Só que os resultados dessas novas radiografias o apontavam como são. Outras radiografias foram feitas, confirmando sua cura. Para o próprio Dante foi difícil acreditar, como ele conta: "Para quem está preparado para morrer, é difícil acreditar uma salvação repentina, ainda mais para mim, que era ateu." Uma das radiografias está no Vaticano.

CURADA DE CÂNCER

A enfermeira aposentada Maria Paula Vieira de Mattos afirma que a filha dela também foi curada graças a Anchieta. "Ela tinha 11 anos, quando apareceu um caroço atrás da orelha dela. Era um câncer. Fiquei desesperada, ela começou a fazer tratamento e ficou careca. Eu comecei a rezar para o padre Anchieta curar minha filha. E ele curou! Hoje ela tem 40 anos, está bem, saudável e nunca mais teve nada", conta.

CURA DE INFECÇÃO

Devota de José de Anchieta, a comerciante Suzana Bedran, de 71 anos, acredita que deve a saúde de seu marido ao padre. Há oito anos, ele sofreu uma infecção na válvula do coração e quase morreu:

 “O médico disse que ele só tinha 20% de chances de sobreviver. Passei a noite rezando para Anchieta com mais 80 pessoas. No dia seguinte, o médico disse que a infecção havia regredido”. Na época, o médico responsável pelo tratamento de seu marido emitiu um relatório apontando a cura repentina. O documento foi entregue ao arcebispo Dom Aluísio Pena e anexado ao processo de canonização.   

Observação: Os relatos são entregues pelos fiéis ao Santuário Nacional de São José de Anchieta, não há nenhum tipo de estudo minucioso ou declaração oficial de milagre da parte da Igreja. Os testemunhos são manifestações dos fieis que atribuem graças recebidas ao Padroeiro e Apóstolo do Brasil. 

POR TI, MÃE, O PECADOR ESTÁ FIRME NA ESPERANÇA, CAMINHAR PARA O CÉU, LAR DA BEM-AVENTURANÇA! Ó MORADA DE PAZ! CANAL DE ÁGUA SEMPRE VIVO, JORRANDO ÁGUA PARA A VIDA ETERNA! (Poema à Virgem, São José de Anchieta)

Oração da novena

Oração a São José de Anchieta

São José de Anchieta, Apóstolo do Brasil, Poeta da Virgem Maria, Intercede por nós hoje e sempre. Dá-nos a disponibilidade de servir a Jesus Como tu O serviste nos mais pobres e necessitados. Protege-nos de todos os males Do corpo e da alma. E, se for vontade de Deus, Alcança-nos a graça que agora te pedimos (pede-se a graça) São José de Anchieta, rogai por nós!

Ore agora por esta novena clicando em "Eu oro"