Dia 3: A confirmação, viver o Pentecostes

Queridos irmãos em oração,

             Os sacramentos da "iniciação cristã" são três: o batismo, a confirmação e a eucaristia. Precisamos dos três para ter força para viver como cristãos! Depois do batismo, vejamos a confirmação, que é o complemento missionário.

Por que um segundo recebimento do Espírito Santo?

No batismo já recebemos o Espírito Santo. Então, como podemos entender que recebemos o Espírito Santo também na confirmação? Recebemos apenas um “pedaço" do Espírito Santo no batismo? Não, obviamente! Na verdade, recebemos o Espírito Santo muitas vezes em nossa vida, não apenas no batismo e na confirmação. Os carismáticos sabem disso, pois receberam uma "efusão do Espírito". Mas cada um de nós recebeu, mais ou menos conscientemente, uma graça especial do Espírito Santo - seja de força, ou de discernimento, ou de consolação etc.

Na Bíblia, várias pessoas receberam duas unções do Espírito. Pensemos em Davi, ainda muito jovem, que é ungido pelo profeta Samuel: "Samuel tomou o chifre de óleo e ungiu-o no meio dos seus irmãos. E, a partir daquele momento, o Espírito do Senhor apoderou-se de Davi"(1 Sam 16:13). E com a idade de 30 anos, ele mais uma vez recebeu a unção quando foi coroado rei (2Sm 2, 4 como rei de Judá e 2Sm 5,3 como rei de Israel). A segunda unção é, portanto, para cumprir sua missão como rei. Da mesma forma, Jesus é cheio do Espírito Santo desde a sua concepção (como um Filho unido ao Pai e ao Espírito, e como um homem concebido pelo Espírito Santo), e ainda assim ele recebe o Espírito mais uma vez ao começar sua missão pública: "O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu; e enviou-me para anunciar a Boa-Nova aos pobres, para sarar os contritos de coração" (Lc 4, 18, depois do batismo… que corresponderia à nossa confirmação). Podemos notar outras duplas recepções do Espírito: Simeão (Lc 2, 25-35), Maria, os Apóstolos (Jo 20 e Ac 2), etc.

Isto permite-nos compreender melhor a especificidade de cada uma das recepções do Espírito, no batismo e na confirmação. “No batismo somos purificados, na confirmação somos ungidos para a luta” (Fauste de Rietz, século V). Recebemos uma força especial do Espírito Santo para que possamos dar testemunho sem medo por Cristo. Se no batismo estou unido ao mistério pascal de Cristo (a sua morte e ressurreição), na confirmação, vivo o Pentecostes para cumprir a minha missão pessoal na Igreja: "Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. [...] 14 Pedro, então, pondo-se de pé em companhia dos Onze, com voz forte lhes disse: “[...]Que toda a casa de Israel saiba, portanto, com a maior certeza de que este Jesus, que vós crucificastes, Deus o constituiu Senhor e Cristo.”" (Atos 2, 4.14.36).

O sacramento da confirmação

Na confirmação, recebemos o Espírito Santo para realizar ativamente nossa missão pessoal e específica na Igreja. É um dom de Deus, transmitido pelo bispo (ou pelo padre expressamente delegado pelo bispo). Não merecemos este sacramento, não sou eu quem «confirma o meu batismo», é Deus quem me deixa forte (firmus em latim) para testemunhar e viver como cristão. Por isso é bom receber este sacramento cedo, de preferência ainda antes da primeira comunhão, porque é desde a infância que precisamos da ajuda do Espírito Santo para permanecermos fiéis a Cristo e não sermos desviados pelo espírito mundano ... Precisamos de uma renovação, em vista do testemunho, dos frutos do Espírito ("O fruto do Espírito é caridade, alegria, paz, paciência, afabilidade, bondade, fidelidade, brandura, temperança." - Gálatas 5: 22-23) e dons "Sobre ele repousará o Espírito do Senhor, Espírito de sabedoria e de entendimento, Espírito de prudência e de coragem, Espírito de ciência e de temor do Senhor." (Is 11: 2) Acima de tudo, devemos deixar-nos guiar cada vez mais pelo Espírito: «Pois todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus.» (Rm 8,14). Por isso que a confirmação é tão essencial! Ela é o fundamento essencial que nos permite viver a nossa vocação cristã pessoal, que se especifica no sacramento do matrimônio ou da ordem.

O sinal do sacramento da confirmação é a unção do Santo Crisma, acompanhada das palavras "Recebe por este sinal o Espírito Santo, o Dom de Deus" (cf. 2 Cor 1, 21-22). A imposição de mãos (cf. Atos 8, 14-17; Atos 19: 5-6) precede.

Resumo

Após a confirmação, o bispo transmite o Espírito Santo para nós por meio da unção do Santo Crisma. Tínhamos recebido uma primeira unção do Espírito no batismo, mas desta vez é para viver o mistério do Pentecostes: receber a força para testemunhar, isto é, para viver a nossa missão pessoal, a nossa vocação específica de cristão no mundo e na Igreja.

Rezemos

Venha, Espírito Santo em nossos corações, venha renovar em nós a graça da nossa confirmação, venha nos fazer reviver a graça do Pentecostes. Venha, Espírito Santo, dê-me a sua força, venha e acenda em mim um fogo missionário, venha e me faça viver minha missão pessoal e insubstituível na Igreja. Amém.

Para ir mais longe

- CIC n°1285-1321.

- Youcat n°203-207.

Clique em "Eu Oro" para concluir com a oração da comunidade

Take a moment to treasure up all these things and ponder them in your heart (cf Luke 2,19)

Let your speech always be gracious, seasoned with salt, so that you may know how you ought to answer everyone. Col 4:6

loader

Viver a fé através dos sacramentos